quinta-feira

Crises e mudanças


Até quando as crises inventadas tornam-se reais?
Ontem o Flamengo perdeu sua primeira partida na libertadores. Sua segunda depois da serie de invencibilidade que deixou o time com maior tempo invicto, em uma parte do tempo, nos últimos meses no Brasil..

Durante esse tempo crises internas abalaram o rubro-negro. Caso de renovações, com destaque para Andrade e Pet e os recentes acontecimentos envolvendo o “império do amor”. O que se viu nesses episódios foi um sensacionalismo na mídia diagnosticando que o Flamengo estava em crise ou que estava adentrando numa crise semelhante às velhas crises rotineiras na gávea.

Mesmo com todos os acontecimentos internos e externos negativamente para o clube, as coisas não desabaram. Dentro de campo o clube contou com apoio da torcida e nas quatros linhas as vitorias aparecerão. O Hexa, ainda com outro departamento de futebol e marketing veio na base de muito esforço, raça e planejamento a curto prazo. Com o novo ano o clube teve seus quadros renovados, mas alguns ficaram em processo de continuação pela demonstração do bom trabalho feito até então.

Mas se não tem crise, daquelas que sempre aconteceram e que afetava o desempenho dos jogadores apareceram outras, externas e internas (que podiam ser evitadas), que sempre existiu mais que não tinha espaço ou questionamento devido às grandes crises políticas ou aquelas financeiras e técnicas.

Essa derrota de ontem pode ser um grande feito para que os críticos de plantão justifiquem suas teorias de que as crises externas-internas são responsáveis pela derrota e pelo processo de derrotas, caso isso aconteça.

Será que isso foi só uma derrota regular, como aquela que perdemos para o Bota Fogo, ou voltamos aquele velho Flamengo de sempre (anos 2000), que ganhar era coisa rara?

Lembrando que o Flamengo evolui, mas não tanto. As velhas elites continuam administrando o clube, a torcida não tem peso nas decisões. As organizadas estão aparelhadas e o clube social é refém do departamento do futebol que é capacho deste clube. O estatuto do clube permanece ultrapassado e autoritário e mudanças no clube são coisas impossíveis.Imagine uma revolução?

A forma de administração no Flamengo não mudou, apenas foi encoberta pelo hexa, pelas altas cotas de patrocínios, pela regularidade financeira e pelas atividades bem sucedidas dentro de campo.

Esse texto de nenhuma forma pretende fazer coro junto com a tradicional mídia que vem manipulando tudo em prol, de que, eu não sei. Alias o que eu penso da mídia em relação ao Flamengo, principalmente à paulista, está ,um pouco de minha opinião, no primeiro texto que eu fiz para essa coluna, que pode ser lido Aqui. Sendo que pretendo fazer em breve uma nova coluna propondo uma solução para resolver essa problemática entre o flamengo e a mídia. Ou seja a construção de uma mídia própria (clube), alternativa e rubro-negra (torcida).

Abraços, saudações revolucionárias rubro-negras e bom final de semana para todos!

Email para a coluna: afsturtdasilva@yahoo.com.br

8 comentários:

Gremista Fanático disse...

É isso mesmo Sturt, não é uma derrota que vai abalar a moral de um time que vem muito bem obrigado e com a grife de campeão brasileiro, acho que o pessoal do Flamengo já aprendeu com os erros do passado e não vão deixar se abalar por qualquer coisa não, valeu, abraço.

Saudações do Gremista Fanático

Rafael Gomes disse...

Ótima coluna Sturt!

Acho que a mídia é meio contra o Flamengo, porque qualquer coisinha vira uma tempestade, e as coisas que são uma tempestade viram...

O grupo está unido e determinado, acho que os problemas são só dentro de campo mesmo, coisas que o Andrade pode corrigir. Individualmente temos só a questão do Adriano pendente, que ainda não foi solucionada, mas se Deus quiser ele vai colocar a cabeça no lugar.

Abraço!

EMERSON disse...

Concordo que a imprensa pega no pé do Flamengo mais nosso time tem que jogar mais umas escapadas do imperador e normal mais ele esta mal as estrelas do time tem que estar focadas pra vencer a libertadores adrade tem que barrar estrelas algumas estrelas para o bem do time abraço e parabens Stuart

AF STURT disse...

A midia é capitalista,ou seja o que importa para ela em primeiro plano é faturar ,é o lucro.

E com a midia esportiva não é diferente.

E o que dá mais venda/acesso no esporte?Com toda certeza o Flamengo.E os fatos negativos são ainda melhor pois não atrai apenas os 33 milhões de torcedores que o clube tem, que procura tanto noticias negativas como positivas.

Mas para atrair os anti-rubro-negros com um obejeto tão marketeiro basta lançar fatos negativos para atrair esses também...

Alexandre Jorge disse...

É isso mesmo.. o Flamengo deve fortalecer o seu setor de divulgação de notícias... e todas elas devem ser unificadas....
não dá mais pra ficar a mercê desses irresponsáveis da imprensa paulista...


concordo com vc

um forte abraço..

www.acabacomelesflamengo.blogspot.com

Claudio Henrique disse...

A mídia é um negócio complicado, sempre ou quase sempre querendo acabar com o clima de algum time. Não dá mais pra aguentar isso. Bom amigo, fazer o que né?

Abraços

Jefferson freire disse...

Sturt, qnd não há muito o que falar ou o que vender, a mídia tem q criar algo. E o que mais vende do q a crise no Flamengo? Compram os próprios torcedores para saber mais e o arco-íris para se informar tb.

Criam uma crise inexistente com o único intuito de vender. É só o clube não entrar na armadilha. E concordo q apesar das melhoras, os grandes problemas continuam.

SRN

Nivinha disse...

Obrigada pelos comentários no blog! Vou te linkar lá!
SRN