sexta-feira

Flamengo faz condicionamento geral em Porto Feliz


Com apenas 12 dias de intervalo entre a reapresentação e a estreia na temporada, marcada para o dia 17 deste mês, diante do Duque de Caxias, a preparação física do Flamengo corre contra o tempo. De acordo com o preparador físico Alexandre Sanz, a equipe começou nesta quinta um trabalho de condicionamento geral no centro de treinamentos em Porto Feliz (SP), depois de passar um dia dedicada às análises médicas e laboratoriais e outro para avaliações físicas. "São nove dias para trabalhar a parte física antes da estreia. Nossa ideia é dar uma base orgânica aos atletas, trabalhando a capacidade aeróbica e a resistência anaeróbia".

Os treinamentos aeróbicos usam as próprias dimensões do campo para as corridas dos jogadores. "A gente traça o percurso onde eles vão jogar, usando mudanças de direção", explica Sanz. "O anaeróbio lático é o que vai fazer com que eles joguem. A partir da semana que vem vamos trabalhar força e velocidade", completa.

Segundo Sanz, ao contrário do que muitos imaginam, nem todos os atletas chegam das férias com alguns quilos a mais. "Tem jogadores que vêm acima do peso. Outros vêm abaixo. Depende do biotipo de cada um. Nomes como Juan, Léo Moura e Angelim, por exemplo, normalmente perdem peso depois das férias – perdem massa muscular".

A prioridade, portanto, é aplicar exercícios que reforcem a musculatura e a capacidade aeróbica – ou seja, o poder que um atleta tem de absorver, transportar e utilizar o oxigênio do ar, de modo que gerar a energia exigida pela atividade física.

A partir de domingo, os jogadores devem começar os treinamentos que Sanz chama de "físico técnico total". Em trabalho com bola, os jogadores realizam atividades específicas de situações de jogo. "Os laterais treinam cruzamentos; os atacantes, finalizações; os zagueiros, rebatidas... A gente procura usar a bola na maioria dos trabalhos físicos. E ao mesmo tempo eles vão trabalhando posicionamento tático", ensina o preparador físico do clube.

Para Sanz, é bem mais tranqüilo trabalhar com um grupo conhecido. "É mais fácil porque você já sabe até onde cada atleta pode chegar. Já há uma intimidade, nós já conhecemos os jogadores e eles sabem nosso jeito de trabalhar. Conhecemos o desconforto que cada um pode sentir. Mas os atletas estão trabalhando duro estão correspondendo aos treinamentos".

Léo Moura - O preparador físico diz que Léo Moura, ausente em Porto Feliz por causa de uma cirurgia, não será prejudicado. "Ele vai se reapresentar e fizer todo o trabalho que os demais estão fazendo. Atrapalha, sim, o conjunto do grupo".

FS com AF

Nenhum comentário: