domingo

Márcio Braga critica Lei Pelé e audácia dos empresários no futebol



A união entre Flamengo e CFZ é uma tentativa de reestruturação na profissionalização no futebol do Rubro-Negro. O presidente licenciado, Márcio Braga, deixou isso claro e foi além. O dirigente não teve qualquer inibição ao mostrar o seu descontentamento com alguns pontos que não concorda. A Lei Pelé, por exemplo, foi extremamente criticada.

Em tom extremamente emotivo, Márcio Braga declarou que ele próprio não está satisfeito com a forma com que o Flamengo vem sendo regido nos últimos anos.

"O Flamengo não agüenta mais a administração que vem tendo. Os clubes não suportam isso. A Lei Pelé fez com que perdêssemos o vínculo com os nossos atletas e eles não se identificam mais tanto com os clubes", disse.

Além disso, uma crítica pesada foi direcionada aos empresários que atuam no futebol. Márcio Braga lembrou que, de uma forma direta, essas pessoas estão tomando conta da vida profissional dos atletas, antes dever atribuído aos clubes.

"Atualmente, os empresários criam fundos e tomam conta do mercado do futebol por completo. Ainda por cima, fazem centros para que sejam criados jogadores, tarefa dos clubes. Ai o que acontece? Eles (empresários) possuem centros de treinamento, mas ainda falta a vitrine. Sendo assim, colocam um jogador no Vasco, outro no Flamengo para que ele se valorize. No futuro, veremos clubes como o Tigres do Brasil (clube presidido por empresários) ter mais tradição do que o América e Bangu. Isso não pode acontecer", desabafou.

[UE]

Nenhum comentário: