quinta-feira

Quem joga mais, a diretoria ou o ataque do Flamengo?



Delair Dumbrosck, presidente interino do Flamengo, pensou como empresário, como homem de negócios.

Trocou parte da penhora das rendas pela volta de Petkovic ao clube.

Na mais pura visão empresarial do futebol, o acordo vai injetar dinheiro no Flamengo, que não precisará destinar parte das arrecadações para saldar dívidas com seu ex-jogador.

Mas alguém pediu a contratação de Petkovic? Cuca sabia da negociação?

O presidente garante que Kleber Leite, o responsável pelo futebol, tinha conhecimento de tudo.

Como empresário, Delair Dumbrosck pode ter feito o certo, mas como homem do futebol foi péssimo.

Com Pet no grupo, o Fla não se fortalece, e os cartolas demonstram o mesmo nível de entrosamento do ataque rubro-negro.

A contratação de um jogador é prerrogativa da diretoria, mas o treinador deve, no mínimo, ter conhecimento da história.

No caso de Pet é diferente. Trata-se de um jogador que está na história do clube e na memória afetiva da torcida.

Tem tudo para ser um problemaço.

Com a classificação sobre o Inter na Copa do Brasil, a questão poderia ser minimizada devido aos interesses do time na competição.

Mas com a derrota para o time gaúcho, o Flamengo terá tempo demais para debater seus erros.

Foi a quarta-feira do quase: o clube quase se classificou, quase acertou na vinda de Pet.

[Paulo Calçade-ESPN]

Entrevista com presidente-interino do Flamengo, Delair Dumbrosck, ontem na Espn Brasil[Áudio]

Nenhum comentário: