quarta-feira

Fla busca vaga para ter paz



Rubro-Negro pega o Inter hoje. Se vencer ou empatar com gols time vai à semifinal da Copa do Brasil e alivia problemas de Cuca



Em 90 minutos, o Flamengo terá a dura tarefa de empatar com gols ou vencer o Internacional hoje, às 21h50, em Porto Alegre, para avançar à semifinal da Copa do Brasil. Tropeço no principal atalho para a Copa Libertadores tornará o caminho de Cuca espinhoso e com destino incerto. A constante exposição e vazamento de problemas internos que derrubaram uma série de técnicos na Gávea voltaram a atingir o treinador que, em 2005, sofreu do mesmo mal e deixou o clube depois de desentendimento com Jônatas, e com o então gerente de futebol, Anderson Barros. A campanha era mais positiva do que negativa: 12 jogos, sendo cinco vitórias, quatro empates e três derrotas. Fatores extracampo causaram a demissão de Cuca.

O treinador, que teve discussão com Juan na segunda-feira, tenta não baixar a guarda e quer a classificação para evitar um nocaute. Ele faz uma citação para definir a postura do time. “Nossa melhor psicologia é meter o pé na bola e colocá-la no barbante. O placar de 0 a 0 não nos interessa. No boxe, ninguém vai para as cordas porque quer. Só se o oponente for para cima”, afirmou o treinador.

Comandante de um grupo de aproximadamente 30 jogadores, Cuca usou o exemplo do boxe, esporte individual que reflete a situação do treinador: constante luta contra problemas ao longo da temporada que o desgastaram nos aspectos psicológico e emocional.

As sucessivas suspensões, seguidas de efeitos suspensivos, e a presença constante no Tribunal fizeram Cuca chegar a declarar antes da decisão do Estadual que sua vontade era largar tudo. O episódio em que foi flagrado rezando no vestiário antes do Fla-Flu pelo canal oficial de televisão do clube, quando estava suspenso, não foi digerido pelo treinador.

No grupo, Cuca teve desentendimentos com Jônatas, Douglas e Juan, além de presenciar outros atritos entre jogadores e comissão técnica, principalmente Juan e o preparador Riva Carli, e Bruno e Andrade. Nos últimos dias, problemas extracampo que chegaram até a imprensa chatearam Cuca.

Diante de todas as dificuldades que enfrentou nas suas duas passagens pela Gávea, Cuca filosofa: “Temos que tirar proveito dos problemas e usá-los a nosso favor. O próprio empate com o Avaí deve ser usado como estímulo para nós”.

[O Dia]

Nenhum comentário: