sábado

TJD nega efeito suspensivo do Flamengo



Cuca e Bruno seguem fora do jogo semifinal da Taça Rio


A torcida do Flamengo recebeu nesta sexta-feira uma má notícia: o Tribunal de Justiça Desportiva negou os pedidos de efeito suspensivo da diretoria referentes às punições de Cuca e Bruno. Com isso, o treinador e o goleiro seguem fora da semifinal da Taça Rio, a ser disputada daqui a uma semana. O setor jurídico do Flamengo tentou argumentar com o fato de que os dois desfalcarão o time numa fase decisiva, mas foi em vão.

- Indeferi pela moralidade do esporte. Imagine se todas as pessoas que cometem uma infração e, por estar em reta final de campeonato, terem um efeito suspensivo? Fatalmente, pelas provas de vídeo acredito que essas penas serão mantidas - disse Antônio Vanderler, presidente do Tribunal, ao site Justiça Desportiva.

Com a derrota, o Flamengo será obrigado a aguardar o julgamento em segunda instância, ainda sem data para acontecer. Cuca foi suspenso por 30 dias por ter xingado a arbitragem do jogo contra o Vasco. Já o goleiro Bruno pegou dois jogos de gancho após entrada violenta em cima do vascaíno Edu.

[Lance]

Advogado do Fla reclama de decisão do TJD

Michel Asseff Filho vai entrar com um mandato no Tribunal Federal


Mesmo com a decisão do Tribunal de Justiça Desportiva de negar o pedido de efeito suspensivo do Flamengo referente às punições do técnico Cuca e do goleiro Bruno, o departamento jurídico do clube ainda tentará uma nova investida para garantir a presença dos dois na semifinal da Taça Rio, semana que vem.

Na segunda-feira, o advogado Michel Asseff Filho vai entrar com um mandado de garantia no Superior Tribunal de Justiça Desportiva para que os dois possam participar da decisão. Segundo ele, a Lei Pelé dá garantias para que seja dado um efeito suspensivo quando o recurso se refere a uma pena maior do que 15 dias (caso de Cuca). Como o recurso engloba ambas as punições, o goleiro Bruno também seria beneficiado pelo efeito suspensivo.

- Com todo respeito que tenho com o presidente do TJD, Antônio Vanderler, essa decisão é um desestímulo a quem advoga na Justiça Desportiva. O tribunal não tem opção. É obrigado a dar o efeito suspensivo - afirmou.

Em caso de nova derrota, o Flamengo será obrigado a aguardar o julgamento do recurso no TJD, ainda sem data para acontecer.

[Lance]

Nenhum comentário: