sábado

Penhora 'abocanha' rendas no Rio



Os quatro principais clubes cariocas tiveram parte de suas rendas no Carioca destinadas a pagar dívidas


“Penhora”. Esta palavra tem assustado os quatro principais clubes do Rio de Janeiro nos últimos anos. Em pesquisa feita pelo site Justicadesportiva.com.br em todos os borderôs disponibilizados pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) em seu site, chegou-se à impressionante quantia de R$ 2.043.900,49 retidos por ações de credores de Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco, que buscaram seu direitos na Justiça.

Depois de ser a principal fonte de receita dos clubes brasileiros, a renda das partidas virou apenas uma espécie de “fonte de pagamento de dívidas”. Agora, a maior parte do dinheiro vem dos direitos de transmissão dos jogos vendidos para as emissoras de televisão. Entre os quatro principais clubes cariocas, o Flamengo é o que mais vê o dinheiro ir embora sem passar pela sua conta.

Os dois destinos principais das rendas do Rubro-negro são as contas do sérvio Petkovic e de uma empresa de segurança. Cada um fica com 15% da renda líquida das partidas do time da Gávea. A dívida com o jogador chega a R$ 10 milhões. Uma terceira parte corresponde a valores calculados sob dívidas trabalhistas no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

No total de 18 jogos que disputou nas Taças Guanabara e Rio, R$ 722.206,75 foram penhorados em cima dos valores a que o Flamengo tinha direito. Contra Boavista e Duque de Caxias não houve penhora, já que a partida fechou no vermelho, sem lucro para o clube.

O Fluminense ocupa o segundo lugar entre os clubes que tiveram parte de suas rendas penhoradas na Justiça. Foram R$ 585.511,87 destinados a pagar dívidas contraídas pelo Tricolor, que fez 16 partidas neste Estadual. Em três partidas, contra Tigres, Boavista e Volta Redonda, não houve penhora devido ao prejuízo após o pagamento de todas as taxas. Perguntado sobre quais seriam os destinos dos valores penhorados, o advogado do clube, Mário Bittencourt, preferiu não se manifestar sobre o assunto.

No Botafogo, o atacante Victor Simões tem homenageado o ex-jogador Donizete, que fez história com a camisa alvinegra ao conquistar o título brasileiro em 1995. Mas é justamente para a conta do verdadeiro Pantera que vai boa parte da renda obtida pelo clube nos 19 jogos que fez nos dois turnos do Estadual. O clube deve a Donizete cerca de R$ 11 milhões. No total dos jogos dos dois turnos disputados, foram R$ 486.698,47 penhorados para saldar antigos débitos. Esse valor poderia ser maior, já que em seis jogos que disputou não houve penhora, mas por conta de não ter obtido lucro em tais partidas, fechando no vermelho.

O Gigante da Colina é o clube que teve a menor parte da renda penhora em termos quantitativos entre os valores dos quatro clubes cariocas. Mas foi também o que menos jogos disputou. Foram descontados R$ 249.483,40 da renda líquida obtida pelo Vasco nas 16 partidas que participou durante do Estadual 2009. Em três partidas, contra Cabofriense, Mesquita e Macaé, não houve lucro para que pudesse ser feita alguma penhora. Em outras duas, apesar do lucro, não houve penhora.

Confira a renda líquida de cada clube após os jogos da Taça Guanabara e Rio, e os valores penhorados nas respectivas partidas:
Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us
Image Hosted by ImageShack.us

Image Hosted by ImageShack.us
[JD]

Nenhum comentário: