domingo

Fla: nova geração se aproxima em títulos de jogadores dos anos 80


O ano de 2005 foi um marco para o torcedor rubro-negro. Com salários atrasados e jogando distante do Maracanã, que passava por obras para os Jogos Pan-americanos, o time recheado de jogadores jovens e desconhecidos passou aperto para se livrar do rebaixamento à Série B do Brasileiro nas últimas rodadas, após ser considerado virtualmente rebaixado por muitos – situação bem parecida à vivida pelo Fluminense em 2009. Desde então, o Flamengo vive uma sequência de bons resultados que há muito tempo não era vista na Gávea. Para ser mais exato, só a brilhante geração de 80 conseguiu mais títulos - com quatro brasileiros, dois cariocas, uma Taça Libertadores e um Mundial em oito anos.

Ao levar o sexto Campeonato Brasileiro na temporada passada, o atual time do Flamengo consegue uma façanha que poucos fizeram nos últimos anos. Exceto o São Paulo, tricampeão brasileiro em 2006, 2007 e 2008, só o Flamengo e Corinthians acumulam dois títulos nacionais nos últimos cinco anos. Ambos levaram um Campeonato Brasileiro e uma Copa do Brasil. Além disso, a equipe rubro-negra conquistou o quinto tricampeonato estadual de sua história, o 31º para a galeria de troféus, passando o Fluminense no número de títulos.

Sequência que começou em 2006, um ano depois de quase ter sido rebaixado. Vencer a Copa do Brasil sobre o Vasco quebrou um jejum de 16 anos sem o segundo torneio mais importante do país. Dois jogadores do atual elenco rubro-negro participaram da campanha que livrou o time do rebaixamento e foi campeão em seguida: Leonardo Moura e Obina.

O atacante, que voltou recentemente de um empréstimo para o Palmeiras, só participou de um jogo da recente campanha vitoriosa no Brasileiro. Herói da Copa do Brasil de 2006, ele não escondeu a ponta de decepção que sentiu por não estar junto na comemoração do hexacampeonato.

– Alguns nem acreditaram quando eu saí. Fiquei feliz pelos meus companheiros, que tiveram dificuldades também para tirar o time da zona de rebaixamento há alguns anos e hoje foram campeões – lembrou Obina, na sua primeira entrevista depois das férias.

Alem do atacante e Leonardo Moura, outros três jogadores participaram de todos os últimos títulos do Flamengo desde 2006: Toró, Juan e Ronaldo Angelim. O zagueiro, por sinal, renovou seu contrato na sexta-feira. Depois de ter marcado o gol que deu o hexa para o clube, o jogador se envolveu numa longa novela para acerta um novo vínculo com os dirigentes.

– É normal o jogador ter essa valorização após ter marcado o gol do título, além de ter no currículo todos os campeonatos que ele conquistou aqui. Por tudo isso, tivemos cuidado na renovação – disse Marcos Braz, vice-presidente de futebol.


Outro jogador participou dos quatro títulos, o goleiro Diego. Entretanto, como titular, ele apenas defendeu a camisa do clube durante a Copa do Brasil. Diego, que saiu do Flamengo neste início de ano, acabou ofuscado pela presença de Bruno, que tornou-se o capitão do hexa. O goleiro chegou ainda em 2006 e teve participação fundamental na conquista do tricampeonato carioca e do Brasileiro.

Libertadores e tetra são metas

Assim como os jogadores que fizeram história na década de 80, os atuais campeões brasileiros também querem ficar marcado como um dos grandes nomes no clube. A partir do próximo domingo, quando o time estreia no Carioca contra o Duque de Caxias, eles poderão garantir presença numa galeria ainda mais ilustre da ocupada hoje. Se vencerem o Estadual, será o primeiro tetracampeonato da história do Flamengo. Além disso, triunfar na Libertadores e disputar o Mundial Interclubes colocam o time novamente em um cenário de destaque internacionalmente. Eles, claro, sonham com isso.

– Cada título no Flamengo é muito importante. Então vamos a esse objetivo, que para todos será especial. O time de 1981 fez uma história incomparável, de muitas conquistas, mas acredito que nós não estamos muito longe – avalia Leonardo Moura, um dos jogadores mais antigos do elenco rubro-negro. – Conquistamos títulos importantes desde 2005 e podemos dizer que, no futuro, estaremos num grupo seleto dos jogadores que fizeram história no Flamengo.

>> Currículos de respeito

> Bruno

O goleiro nasceu no dia 23 de dezembro de 1984, em Belo Horizonte. Veio do Atlético-MG e estreou no dia 2 de setembro de 2006 (Flamengo 1 x 2 Internacional). Tem 201 jogos, 246 gols sofridos e 3 gols marcados pelo Flamengo.

> Leonardo Moura

Lateral-direito. Nasceu no dia 23 de outubro de 1978, em Niterói. Veio do Sporting de Braga, de Portugal. Estreou no dia 12 de junho de 2005 (Corinthians 4 x 2 Flamengo). Tem 250 jogos e 34 gols pelo Flamengo.

> Juan

Lateral-esquerdo. Nasceu no dia 6 de fevereiro de 1982, em São Paulo. Veio do Fluminense. Estreou no dia 22 de janeiro de 2006 (Portuguesa 2 x 2 Flamengo). Tem 201 jogos e 30 gols pelo Flamengo.

> Ronaldo Angelim

O zagueiro nasceu no dia 26 de novembro de 1975, em São Paulo, de onde saiu bem jovem para morar no interior do Ceará. Veio do Fortaleza. Estreou no dia 2 de fevereiro de 2006 (Flamengo 4 x 2 Americano). Tem 202 jogos e 13 gols pelo Flamengo.

>Toró

O volante nasceu no dia 13 de abril de 1986, no Rio de Janeiro. Veio do Fluminense. Estreou no dia 22 de janeiro de 2006 (Portuguesa 2 x 2 Flamengo). Tem 135 jogos e cinco gols pelo Flamengo.

> Obina

Atacante. Nasceu no dia 31 de janeiro de 1983, em Vera Cruz, na Bahia. Veio do Vitória. Estreou no dia 13 de abril de 2005 (Flamengo 0 x 2 Ceará). Tem 180 jogos e 47 gols pelo Flamengo.

FS com JB

Nenhum comentário: