segunda-feira

Titular de novo, Pet supera desconfiança e diz que voltou para ajudar o Flamengo


Convidado do Redação Sportv, sérvio diz que time carioca pode brigar para ficar entre os quatro primeiros no Brasileirão









Após chegar ao Flamengo sob grande desconfiança de boa parte da torcida, da imprensa e de alguns dirigentes, Petkovic mostrou em campo que ainda pode ser produtivo e ganhou a vaga de titular. De óculos, e mostrando bom humor, o jogador foi entrevistado na bancada do Redação SporTV, na manhã desta segunda-feira e falou sobre esta 'volta por cima'. Pet garante que retornou ao clube para retribuir o carinho dos torcedores.

- A minha volta foi complicada, não foi fácil. Quando eu cheguei, falei que meu objetivo era ajudar o Flamengo. Não tenho mais nada para mostrar. Meu único risco era o de um ídolo ser vaiado. Ano passado, no Atlético-MG, eu não joguei mal em jogo algum. Estou bem fisicamente e com uma vontade enorme de devolver o carinho para a torcida, que sempre me deu apoio.

Sobre as perspectivas do Flamengo no Campeonato Brasileiro, Pet preferiu ser prudente. Ele acha que só depois da janela será possível fazer um prognóstico preciso, mas admitiu que é possível brigar para ficar no G-4.

- Podemos chegar sim entre os quatro primeiros, a tabela mostra isso. Mas vamos esperar terminar a janela. Acho que daqui a uns quatro cinco jogos nós poderemos saber se vamos brigar por algo mais, talvez ficar no G-4. Mas não teremos jogos fáceis pela frente. E disputaremos também a Sul-Americana, temos aí de encarar o Fluminense.

O sérvio fez questão de elogiar o atacante Adriano, artilheiro do Campeonato Brasileiro, com dez gols. Os dois jogaram juntos em 2000 e 2001, também no Flamengo, quando o Imperador estava iniciando a carreira.

- O Adriano cresceu muito. Na época eu achei que a saída dele era precipitada, mas o negócio foi bom para o Flamengo. O Adriano tinha poucas oportunidades e veio o Vampeta, que era da seleção. Mas lá na Itália seu futebol evoluiu muito e ele se tornou um grande jogador.

Pet também falou sobre o seu relacionamento com Andrade. O jogador brincou com fato de ser muito procurado pelo treinador na hora das orientações ao time.

- A minha idade é mais próxima da dele do que dos meus colegas de time, então a gente tem mais papo - disse, aos risos.

GE

Nenhum comentário: