sábado

Exaltado pela torcida, Pet avisa: 'Quero ser melhor do que já fui'


Titular, sérvio desabafa e agradece ao futebol. Andrade tem só uma dúvida

A História de Dejan Petkovic é mesmo triunfal. De ídolo no início do século a retorno polêmico para ser contrapeso da dívida que o Flamengo tem, o sérvio deu a volta por cima ao recuperar o bom futebol e será o comandante do meio-de-campo no domingo, contra o Corinthians, domingo, aos 36 anos.

De bem com a vida, Pet falou sobre o novo momento na carreira, com muita sinceridade, e fez questão de ressaltar a importância do futebol e da torcida rubro-negra em sua vida. Além disso, esbanjou otimismo ao projetar o futuro.

- Ainda quero ser melhor do que já fui. Não penso em vencer companheiros ou adversários na técnica, essa competição não existe. Graças a Deus, com esse pensamento, construí uma bela carreira. Estou sendo profissinal, treinado com muito empenho e, mesmo quando falam da minha idade, ainda consigo jogar bem - disse o gringo, atual camisa 43 do Mengão.

Segundo o apoiador, ainda há muitos pontos positivos no fato de estar mais velho.

- A experiência conta muito também. Estou sempre aprendendo e crescendo como ser humano. Acho que todos os aspectos da vida ficam melhor com o passar do tempo. São duas palavras que me seguem: amor e agradecimento. Um porque sempre gostei de jogar bola, e passei minha vida fazendo o que amo. Poucas pessoas têm esse privilégio. E agradecimento pois por onde passei sempre fui ídolo. No Flamengo, especialmente. A relação com a torcida é incrível - comentou o craque.

LN

Nenhum comentário: