quarta-feira

Jogadores do Flamengo adotam lei do silêncio espontânea


Desde a última quinta-feira, após a saída de Cuca, apenas dois deles apareceram nas entrevistas coletivas: Léo Moura e Ronaldo Angelim

Não foi nada previamente combinado, mas os jogadores do Flamengo criaram uma espécie de lei do silêncio espontânea desde a saída de Cuca, na última quinta-feira. Em seis dias de treinos, somente dois jogadores se dispuseram a dar entrevistas coletivas: Léo Moura e Ronaldo Angelim. Houve também a apresentação do zagueiro David.

Nos outros dias, dirigentes e os técnicos dominaram os microfones.

– Não há qualquer determinação para eles não falarem – disse o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz.

O volante Kleberson é um dos mais arredios. Ele reclama pelos cantos dos jornalistas e negou-se até mesmo a comentar a convocação para a seleção brasileira. As desculpas variam, mas geralmente passam por compromissos particulares. O mais solícito nas últimas semanas foi o atacante Emerson.

Emudecido, o Flamengo enfrenta o Atlético-MG nesta quinta-feira, no Maracanã. A partida começa às 21h (de Brasília),

GE

Nenhum comentário: