segunda-feira

Aírton volta ao STJD nesta semana



Jogador do Fla será julgado pelo pisão em Nilmar, do Inter, após a Procuradoria recorrer de sua absolvição


Airton não tem estado em campo nos últimos jogos do Flamengo. Em compensação, as idas ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) têm sido constantes. A última vez em que esteve por lá foi no dia 26 de junho, quando foi suspenso por cinco jogos após um pisão no atacante Ariel, do Coritiba. Na próxima quinta-feira, dia 9 de julho, o zagueiro rubro-negro será julgado novamente, desta vez no Pleno do STJD, após a Procuradoria recorrer de sua absolvição no caso em que foi denunciado por pisar no atacante Nilmar, do Flamengo. A sessão terá início às 13h30, na sede do tribunal, no Rio de Janeiro, e será transmitida em tempo real pelo site Justicadesportiva.com.br.

Na ocasião do duelo entre Flamengo e Internacional, em partida válida pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, o jogador Airton não chegou a ser expulso no estádio Beira-Rio. O árbitro Paulo César de Oliveira aplicou apenas um cartão amarelo após o zagueiro pisar em Nilmar. A Procuradoria requisitou as imagens do jogo e denunciou Airton por agressão física, infração descrita no artigo 253 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

Na sessão da Primeira Comissão Disciplinar, realizada no dia 1º de junho, os auditores absolveram Airton, mas não em função de julgarem que não houve agressão, mas sim por entenderem que o juiz aplicou ao lance a punição que entendeu necessário, e que dessa forma não poderia ser modificada no tribunal.

Airton esteve presente nesta sessão e afirmou que não teve intenção de pisar ou agredir o adversário. O jogador ainda afirmou ter pedido desculpas ao atacante Nilmar ao final do jogo. O colorado saiu de campo e mostrou as marcas das chuteiras na barriga. Inconformada com a decisão em primeira instância, a Procuradoria recorreu e quer que Airton seja agora punido no artigo em que foi denunciado, no qual pode pegar de 120 a 540 dias de suspensão. No parecer, o procurador Felipe Bevilacqua afirmou que a absolvição de Airton abriria um precedente contra a moral e a ética desportiva, contrariando a Justiça Desportiva.

Vale lembrar que Airton ainda cumpre uma suspensão de cinco jogos. Ele teve seu pedido de efeito suspensivo negado e só poderá voltar a jogar no dia 19 de julho, contra o Botafogo, pela décima segunda rodada do Brasileirão, já tendo ficado de fora de um Fla-Flu e do duelo contra o Vitória, sendo ainda desfalque certo para os jogos contra São Paulo e Palmeiras. Em caso de punição em dias, ele cumpre concomitantemente com esta outra suspensão. Se for punido em jogos, ele irá cumpri-los após terminar a anterior.

Presidente do Flamengo também terá recurso julgado

O recurso do presidente licenciado Márcio Braga volta novamente à pauta do Pleno. Depois de ter sido adiado por conta de uma preliminar levantada pelo advogado do clube, o processo foi retirado de pauta para que se cumprissem questões processuais. O dirigente foi suspenso por 120 dias pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD/RJ) por conta de uma nota oficial emitida pelo Flamengo, na qual atacava a Federação de Futebol do Estadual do Rio de Janeiro (Ferj) e seu presidente Rubens Lopes.

Márcio Braga está liberado por um efeito suspensivo e, a depender da decisão dos auditores, pode continuar livre ou então cumprir o restante da pena que lhe foi dada na instância regional.

[JD]

Nenhum comentário: