terça-feira

Julgamento de Airton marcado



Em sessão na próxima sexta, dia 26, volante do Fla pode pegar de 120 a 540 dias de suspensão por pisão


O rubro-negro Airton já esteve no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) neste início de Campeonato Brasileiro, quando foi absolvido. Porém, o volante já tem nova data marcada para ser julgado. A sessão realizada pela Quarta Comissão Disciplinar, marcada para a próxima sexta-feira, dia 26 de junho, a partir das 14h, analisará a expulsão do jogador na partida entre Flamengo e Coritiba, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Airton responderá novamente por agressão física, podendo pegar, no mínimo, 120 dias de suspensão.

De acordo com o árbitro Wilson Luiz Seneme, que apitou o duelo no estádio Couto Pereira, no dia 14 de junho, Airton Ribeiro Santos foi expulso aos 43 minutos do primeiro tempo por ter atingido o jogador adversário Ariel na barriga com um chute, após uma disputa de bola. O fato gerou denúncia por agressão física, mo está descrito no artigo 253 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê suspensão de 120 a 540 dias.

Vale ressaltar que Airton respondeu a uma denúncia por fato semelhante no dia 1° de junho, em sessão da Primeira Comissão Disciplinar. O jogador do Flamengo foi acusado de agredir fisicamente o atacante colorado Nilmar, em partida pela Copa do Brasil, também com um pisão. No lance, recebeu apenas cartão amarelo. No julgamento, os auditores entenderam que o lance já foi avaliado em campo pelo árbitro e não deveria ser modificado no tribunal.

Apesar da absolvição, Aírton já sabe que não terá apenas o julgamento de sexta-feira pela frente. A Procuradoria do STJD recorreu da sua absolvição e o volante será julgado novamente, desta vez no Pleno. A data ainda será marcada pela secretaria do STJD.

Com o julgamento antes da oitava rodada, Airton já pode ser desfalque para o duelo contra o Fluminense, no próximo domingo, dia 28. O volante cumpriu suspensão automática na última rodada, quando o Flamengo venceu o Internacional, no Maracanã.

[JD]

Nenhum comentário: