terça-feira

Airton se livra de longo gancho



Volante rubro-negro conta com ajuda de Cuca e não é punido por pisão em Nilmar


Depois da felicidade de ver uma bela estreia de Adriano, a torcida do Flamengo teve mais um motivo para comemorar ontem, dia 1º de junho. Isso porque o jogador Airton foi absolvido, por maioria de votos, pela Primeira Comissão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O volante foi denunciado por ter dado um pisão em Nilmar, nas quartas-de-final da Copa do Brasil. Com a decisão, o jovem atleta, que poderia pegar longo gancho, pode ser escalado normalmente pelo técnico Cuca no Campeonato Brasileiro.

O jogador compareceu no julgamento e prestou depoimento. Diante dos auditores, após a exibição da prova de vídeo, Airton explicou como o lance aconteceu e disse que atingiu sem querer o atacante Nilmar. Airton ainda afirmou que, ao final da partida, pediu desculpas ao adversário. Para completar, ressaltou que nunca teve qualquer desentendimento anterior com o atacante colorado.

O técnico Cuca também esteve presente à sessão e depôs para ajudar o atleta. O treinador ressaltou, entre outros pontos, a pouca idade do meio-campista, mas disse que, apesar dela, o mesmo já mostra muita maturidade e boa índole, e que por conta disso fez questão de ir ao tribunal.

Depois do depoimento do comandate rubro-negro, o advogado do clube, Michel Asseff Filho, teve a palavra e alegou em sua defesa que apenas a Procuradoria entendeu que houve a "intenção" de Airton em agredir o adversário. Além disso, destacou que o lance foi claro, "no qual Airton procurou um apoio ao passar por cima de Nilmar e, sem querer, acabou se desequilibrando, pisando no atleta adversário". O entendimento foi o mesmo da maioria dos auditores.

Entenda o caso

Airton não foi expulso no jogo contra o Internacional, que garantiu a vaga do Colorado na semifinal da Copa do Brasil. Porém, a Procuradoria do STJD não deixou barato o pisão que o rubro-negro deu no atacante Nilmar, e o denunciou através de prova de vídeo. Vale ressaltar que, após o jogo, o “agredido” mostrou as marcas da chuteira de Aírton em sua costela.

O jogador do Flamengo respondeu ao artigo 253 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê como pena a suspensão de 120 a 540 dias.

Vídeo não é novidade para Airton

Não foi a primeira vez que Airton sentou no banco de réus do STJD. Em agosto do ano passado, o jogador foi suspenso por um jogo também por denúncia formulada por meio de prova de vídeo da partida contra o Palmeiras, no dia 30 de julho, válida pelo Campeonato Brasileiro. O atleta foi flagrado acertando o rosto do jogador Léo Lima, na disputa de bola, no lance anterior ao que originou a expulsão do próprio meia, que vestia a camisa palmeirense.

[JD]

Nenhum comentário: