sexta-feira

No ninho do urubu, serpente destila veneno e Imperador provoca engenharia



O recado já chegou aos ouvidos de Bruno, o paredão rubro-negro. As chances de uma convocação para o time de anões de Dunga serão bem maiores se o goleiro colocar um zíper na boca.

Capitão do time do Flamengo após a aposentadoria de Fábio Luciano, Bruno também é conhecido no ninho do urubu pela língua extremamente malévola.

A última picada da serpente aconteceu quando soube que o centroavante Adriano reforçaria a equipe. Bruno destilou uma boa dose de veneno: “Ele será muito bem recebido, mas uma andorinha só não faz verão.”

Por falar em Adriano.... A diretoria do Flamengo abriu o jogo: só contratou o atacante após minuciosa ‘engenharia financeira’. Tanto que, antes de fechar negócio com o Imperador, fez questão de ouvir alguns construtores, responsáveis por prédios que desabaram, para desenvolver a ‘engenharia ideal’ para bancar um holerite de R$ 400 mil.

Uma ‘engenharia’ que já se mostrou profícua com outros reforços para formar um ataque de riso: Josiel – R$ 190 mil por mês; Obina – R$ 115 mil; Emerson – R$ 100 mil; Jonatas – R$ 130 mil; e Zé Roberto – R$ 170 mil. Números que justificam a incrível vibração da torcida pela avalanche de gols produzida por defensores e meio-campistas.

[José Roberto Malia - Espn]

Nenhum comentário: