domingo

Herói mais uma vez, Bruno divide os méritos e volta a sonhar com a seleção



Goleiro recusa o rótulo de salvador da pátria, reafirma vontade de defender a amarelinha e prega respeito ao Botafogo e a Ney Franco


Responsável por dois dos três títulos do quinto tricampeonato estadual da história do Flamengo, Bruno brilhou em dose tripla na tarde deste domingo no Maracanã. Como se não bastassem as defesas nas cobranças de Leandro Guerreiro e Juninho na disputa por pênaltis, o goleiro evitou também o gol de Victor Simões em penalidade máxima no início da segunda etapa. Tantas façanhas, no entanto, não fazem o camisa 1 assumir o rótulo de herói.

Passada a euforia pela vitória por 4 a 2 nos pênaltis sobre o Botafogo, após empate por 2 a 2 no tempo normal, Bruno atendeu a imprensa todo sorridente, elogiou a faixa de campeão e dividiu os méritos com os companheiros.

- Todos os jogadores do Flamengo merecem os parabéns. Falam que pênalti é loteria, mas o cara trabalha o dia-a-dia, treina, fica depois do treinamento e se prepara para uma situação como essa. Nosso time teve tranquilidade para converter e eu para defender. Não foi só o Bruno. Quem bateu, quem fez o placar no primeiro tempo, o time todo foi importante. É preciso frisar bem isso. Como vocês (jornalistas) estão conversando comigo, poderiam estar falando com o Renan. Pênalti é quando o goleiro aparece.

A exibição de gala somada a lesão de Doni fez o goleiro voltar a sonhar com a seleção brasileira. Enquanto aguarda com expectativa a convocação do próximo dia 21, para a Copa das Confederações, Bruno elogiou o técnico Dunga.

- Seleção é consequência. Se amanhã ou depois surgir a oportunidade, vou estar preparado. Dunga é um grande treinador, está ganhando tudo e está no caminho certo. Ele tem as preferências dele e eu respeito. Se tiver a chance, vou ficar muito feliz. A gente trabalha pensando nisso. É um sonho de criança, um sonho da família... Eles ficam na expectativa a cada convocação. Primeiro, tenho que pensar no Flamengo e conquistar títulos. Assim posso fazer como o Julio César.

O tri conquistado em cima do Botafogo não fez o goleiro tripudiar sobre o adversário.

- Vamos respeitar sempre o Botafogo. É um time com grandes jogadores e um treinador que eu respeito muito. Se estou aqui no Flamengo, é porque o Ney Franco me ajudou quando mais precisei.

Ney Franco indicou a contratação de Bruno para o Flamengo em 2006. Na ocasião, o goleiro vinha de uma saída conturbada do Atlético-MG e de um tempo sem sequer entrar em campo pelo Corinthians.

[GE]

Nenhum comentário: