sexta-feira

Cuca fica no banco na decisão



Treinador do Fla é absolvido e pode ficar em campo no clássico contra o Bota do próximo domingo


Mais uma vez, o técnico do Flamengo, Cuca, compareceu ao Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD/RJ) para prestar depoimento e se explicar. E, finalmente, se deu bem. Julgado por manifestação desrespeitosa ao presidente do Tribunal, o treinador foi absolvido de forma unânime após a própria Procuradoria ter voltado atrás e pedido a sua absolvição, em julgamento realizado nesta quinta-feira, dia 30 de abril.

Com o resultado, o comandante rubro-negro está liberado para ficar no banco na final do Carioca, no próximo domingo, dia 3 de maio, contra o Botafogo, uma vez que também nesta quinta-feira conseguiu efeito suspensivo da punição de 90 dias imposta a ele na última segunda-feira, dia 27 de abril.

Cuca foi denunciado pela Procuradoria por ter dito em uma entrevista coletiva que o presidente do TJD/RJ, Antônio Vanderler, mentiu ao não conceder um efeito suspensivo que fora prometido, segundo ele, para a decisão do segundo turno do Campeonato Carioca.

Na sessão, o procurador José Flores retirou a denúncia considerando perda do objeto, pedindo, assim, a absolvição do treinador. A mudança de ideia se deu após depoimento do treinador em ele que disse haver entendido errado as colocações do presidente do Tribunal e pediu desculpas por qualquer ofensa que possa ter cometido.

O treinador do Flamengo foi denunciado no artigo 188 (Manifestar-se de forma desrespeitosa, ou ofensiva, contra membros dos poderes das entidades desportivas ou da Justiça Desportiva) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). Como sua declaração foi feita à imprensa, ele se enquadra no parágrafo único do artigo, que prevê suspensão de 60 a 360 dias.

Na última passagem de Cuca pelo TJD/RJ, que lhe rendeu gancho de 90 dias, o treinador deixou o local chateado por não ter conseguido se explicar melhor, já que o tempo que lhe foi dado foi demasiadamente curto, segundo o técnico. Ele foi julgado por ter entrado no vestiário rubro-negro quando cumpria suspensão de 30 dias – sua primeira pena no ano - por expulsão em jogo contra o Vasco.

Ainda nesta quinta-feira saiu o resultado do pedido de efeito suspensivo do departamento jurídico do Flamengo em relação à punição de 90 dias imposta ao treinador na última segunda-feira, dia 27 de abril. O recurso foi deferido e o treinador está liberado para ficar no banco de reservas até o julgamento do recurso.

[JD]

Nenhum comentário: