quinta-feira

A Nação precisa dele!



Juan volta a apresentar futebol que o levou à Seleção e é uma das armas do Fla contra o Bota


Não é só o técnico do São Paulo, Muricy Ramalho, que acha que grande parte dos jogadores, ao retornar da Seleção Brasileira para seus clubes, esquecem o bom futebol. E o mal parece ter também recaído sobre Juan. No entanto, passados mais de seis meses de sua última convocação, o lateral-esquerdo rubro-negro está voltando à sua melhor fase. Prova disso foi a grande atuação contra o Fluminense, na semifinal da Taça Rio. Algo que ele pretende repetir diante do Botafogo, na grande decisão do segundo turno.

Contra o rival tricolor, Juan deitou e rolou pela ala esquerda do campo de ataque, aproveitando todo o espaço dado pelos comandados de Carlos Alberto Parreira. Agora, prestes a enfrentar Ney Franco - técnico que o fez despontar no futebol brasileiro quando treinou o Fla, em 2006 -, o lateral quer mostrar que ainda pode continuar desequilibrando.

Mesmo assim, mostra humildade ao dizer que sua subida de rendimento está diretamente ligada ao crescimento de todo o time. “As boas atuações, tanto minhas quanto do Léo (Moura), são em virtude do trabalho feito no dia-a-dia e da qualidade de toda a equipe do Flamengo”, diz, ciente de que ainda falta um pouco para que volte a mostrar seu melhor futebol.

“Estou começando a jogar bem como antes, voltando a ganhar ritmo e regularidade com essa seqüência de jogos”, avaliou.

Como era de se esperar, sempre que se aproxima a abertura de uma janela de transferência, especulações sobre uma possível saída do lateral não faltam. Preparado para isso, Juan diz estar tranqüilo e reitera que deixar o futebol brasileiro não é algo que lhe encha tanto os olhos.

“Mais uma vez estou muito tranquilo quanto a isso. Tem gente que me diz que tenho que ir para fora senão as coisas não vão acontecer para mim. Mas não vejo dessa forma. Consegui chegar à Seleção Brasileira pelo Flamengo”.

Ney Franco

Sobre o técnico do Botafogo, Juan é só elogios. Segundo o jogador, o trabalho ao lado de Ney Franco, na época em que o comandante esteve à frente do Rubro-negro, foi de grande aprendizado. “É um treinador muito inteligente. Foi com ele que comecei a jogar melhor, rendendo o que sabia que podia render, ganhando mais confiança. Foi um treinador importante e aprendemos muito com o jeitinho dele, com a forma inteligente de arrumar o time”, disse."

[JD]

Nenhum comentário: