terça-feira

Mar rubro-negro



Bandeiras nos prédios, camisas nas ruas e muita euforia à espera do pentatri


Bandeiras rubro-negras tremulando nos prédios, e um mar de camisas do Flamengo invadindo as ruas do Centro do Rio. A todo instante, ontem, flamenguistas faziam questão de demonstrar sua satisfação com o título da Taça Rio, conquistado no domingo, sobre o Botafogo. De chorão a vice, restou aos alvinegros aturarem as gozações e o deboche dos rivais, que sabem que ainda não conquistaram nada, mas estão confiantes de que um novo tricampeonato estadual está próximo.

“O Flamengo não jogou bem, mas venceu o Botafogo, conquistou a Taça Rio e é isso que importa. Nos momentos decisivos, o Mengão cresce, é time de chegada. Eles podiam ter matado logo o campeonato, e não fizeram. Agora que deixaram chegar, o Mengão vai ser pentatri... Já era pra eles. Vamos rumo ao título”, frisou o guia turístico Marco Aurélio Madeira, de 56 anos.

A alegria estava no ar, principalmente no Largo da Carioca, onde o ponto de concentração rubro-negra era em frente à barraca do camelô Josemar Luiz, 35 anos, que já previa que o campeonato só seria decidido nos próximos domingos, e não na final da Taça Rio, como os botafoguenses sonhavam.

Mas o dia de ontem não foi só de comemoração, e, sim, de faturamento. O vendedor ambulante e rubro-negro Juarez de Jesus Silva, 36 anos, além da felicidade pela conquista, aproveitou para faturar um troco vendendo camisas do Flamengo e faixas de campeão que, segundo ele próprio, ‘ estavam saindo como água’

“Não tenho nem ideia de quantas faixas já vendi. Creio que devem ter saído mais de 50, só até o início da tarde. Tá vendendo muito”, revelou Juarez, que circulava na Avenida Borges de Medeiros, em frente à sede do Flamengo.

Porém, o que fez sucesso entre aqueles torcedores que gostam de zoar os amigos foi a certidão de óbito do Botafogo, que era vendida já na saída do Maracanã, minutos após a conquista rubro-negra. O torcedor João Gustavo de Oliveira, 40 anos, fez questão de mostrar o papel que tirava um sarro da derrota do Glorioso.

A certidão que inclusive chegou às mãos do presidente em exercício do Flamengo, Delair Dumbrosck, fazia menção à forma como o Alvinegro foi ‘morto’ em campo pelo Mengão, “vitimado de falência de múltiplos jogadores e agravado pelo vírus amarelite bacilos (ou vírus do vice amarelão)”.

Mas isso pode não ficar assim. Engasgados, os alvinegros prometem a forra já no domingo, mais uma vez no Maracanã, onde Flamengo e Botafogo farão outro jogo de parar a cidade e mexer com a galera.

[O Dia]

Nenhum comentário: