sexta-feira

Delair ironiza: ‘Pena que o Leonardo não pode trabalhar voluntariamente’



Presidente diz que o Flamengo jamais será vendido e conclui: ‘Não tenho R$ 250 mil para pagar o salário dele’


Mais uma vez, um ex-jogador do Flamengo solta o verbo para – à distância – criticar a diretoria e o modelo de gestão do clube. Em entrevista ao jornal "O Globo", Leonardo sugeriu que o Rubro-Negro fosse vendido. O presidente em exercício, Delair Dumbrosck, descartou a possibilidade de o clube trocar de mãos e contra-atacou:

- Se ele está dizendo que chegou a hora de vender o clube é porque certamente tem um grupo interessado por trás. Talvez seja um lobby do Leonardo. Os sócios jamais vão permitir que o Flamengo seja vendido. No máximo, uma sociedade empresarial no futebol. Temos de nos modernizar, mas de outra forma.

Leonardo é sócio proprietário do Flamengo, mas por exigências estatutárias não tem condições de se candidatar às eleições presidenciais do fim deste ano. No clube, a chuva de críticas dele foi mal recebida. Segundo os dirigentes, falar é fácil.

- Ele até tem direito de se manifestar. Só é uma pena que eu não tenha R$ 250 mil para pagar de salário para trazê-lo e também é uma pena que ele não possa trabalhar voluntariamente, assim como eu faço, o Juvenal (Juvêncio, presidente do São Paulo) faz – desabafou Delair Dumbrosck.

Mais cedo, durante o treino do Flamengo na Gávea, o vice-presidente de futebol, Kleber Leite, disse que Leonardo deveria participar mais do dia-dia do clube.

- Ele é sócio e pode expor essas questões no conselho deliberativo ou no de administração. Só quero responder sobre a declaração em que ele diz que dirigente enriquece por meio de esquemas com empresários. Eu e o Plínio (diretor de futebol) não queremos nada do Flamengo. Nem o refrigerante o clube nos paga.

[GE]

Nenhum comentário: