quinta-feira

Apesar das propostas, Plínio Serpa Pinto garante Emerson até o final do ano na Gávea



Contrato vai até 15 de julho, mas dirigente confirma renovação com o Flamengo até dezembro


Bastaram quatro jogos e dois gols pelo Flamengo para que o atacante Emerson volta-se a despertar o interesse de clubes do Oriente Médio. Com mercado aberto no Qatar, Emirados Árabes e Japão, eixo onde construiu a sua carreira pelo período de onze anos, o jogador se valorizou com o início promissor no Flamengo e recebeu uma proposta do Al-Shabbab, dos Emirados Árabes, time comandado pelo brasileiro Toninho Cerezo. O time é o mesmo de um recente ídolo do clube, o meia Renato Abreu. Segundo informações, a proposta é extremamente vantajosa, chegando a cerca de R$ 10 milhões por temporada.

Embora, os valores sejam suficientes para balançar qualquer atleta, com o sheik da Gávea a situação é um pouco diferente. Com 30 anos, Emerson veio para o Flamengo com o objetivo de realizar o sonho de jogar em seu clube de coração. O fato de ser um jogador completamente realizado profissionalmente facilitou a realização do seu desejo. Sem negar que uma proposta desse tamanho balance qualquer atleta, o diretor de futebol do Flamengo, Plínio Serpa Pinto, responsável pela contratação de Emerson, garantiu a reportagem do JORNAL DOS SPORTS, que o sheik vai permanecer na Gávea, no mínimo, até o final do ano.

"O Emerson tem contrato até o dia 15 de julho e o Flamengo tem o direito de renová-lo até dezembro. Ele provou que tem a qualidade, deu exemplo de amor ao clube e mostrou que dinheiro não é tudo. Posso dizer que ele aprovou, é uma pérola de pessoa e vamos ficar com ele até dezembro. Propostas sempre vão existir para ele e qualquer outro jogador. No entanto, todos esses assuntos só serão tratados após o encerramento do Campeonato Carioca, que é o único pensamento do Flamengo", comenta.

Crença no trabalho

Enquanto as especulações prosseguem, Emerson segue trabalhando forte para as finas do Estadual. O atacante considera que ainda pode melhorar seu desempenho, mas faz questão de dizer que sempre marcou gols em finais, além de afirmar que acredita muito no trabalho ao invés do rótulo de "pé-quente".

"Acho que meu desempenho ainda dá para ser melhor. Já fiz gols em todas as finais que disputei. Não gosto muito desse rótulo de pé-quente, embora muita gente comente dessa forma. Prefiro acreditar na qualidade e no trabalho desenvolvido nos treinamentos", encerra.

[JS]

Nenhum comentário: