sexta-feira

No Fla, marcar é preciso



Cuca exige forte pegada contra o Vasco, e time quer fazer gol logo no início


Durante a semana, na Gávea, falou-se um pouco de tudo, mas quase nada do clássico de domingo, contra o Vasco. Pressão no técnico, salários atrasados a serem quitados, contratação de Emerson e até ônibus novo foram os assuntos principais, enquanto Cuca comandava treinos de onde não era possível tirar grandes conclusões.

Ontem, enfim, depois de um coletivo de 33 minutos, o Flamengo respirou futebol e mostrou a cara para o jogo.

O torcedor verá um time com muita marcação na saída de bola do adversário, um lado direito forte, com Everton Silva e Leonardo Moura, jogadas ensaiadas, cuidado com os contra-ataques e a importância de fazer 1 a 0 logo, num jogo que muitos acreditam encontrar um Vasco mais fechado.

“Quem sair na frente vai ganhar o jogo. Ele são favoritos, mas no papel nosso time é melhor. O Fábio Luciano falou para a gente fazer 1 a 0 e tentar jogar no contra-ataque. Eles marcam forte, têm um atacante só e vêm para o contra-ataque”, analisou Everton Silva.

Durante o coletivo, vencido pelo titulares por 2 a 1, gols de Zé Roberto e Josiel — Obina descontou —, Cuca gritava sem parar: “Vamos marcar. Pressão total. Ali, ali”. A ordem é sufocar desde a saída de bola dos cruzmaltinos. Em certos momentos, a zaga ficou exposta aos contra-ataques.

Com seis gols, Josiel é a esperança para fazer Cuca e o grupo viverem dias mais tranquilos na Gávea. “O Vasco vive bom momento, mas nem sempre o favorito vence. Troco uma boa atuação, que sei que ainda devo, por gols”, afirmou o atacante rubro-negro.

Ontem, líderes de torcidas organizadas conversaram com Fábio Luciano, Ronaldo Angelim, Íbson e Bruno para dar voto de confiança, pelo menos até o clássico de domingo, contra o Vasco. Mas somente a vitória manterá o clima ameno.

A diretoria garantiu que até segunda-feira apresentará oficialmente o atacante Emerson, que já treina no CT e precisa ser inscrito até hoje à noite na Federação.

(O Dia)

Nenhum comentário: