quarta-feira

Madureira ameaça a blindagem a Cuca



Flamengo precisa vencer o Tricolor Suburbano hoje, em Édson Passos, para continuar com seu técnico preservado e seguir lutando por vaga na semifinal


Caso o Flamengo não saia de campo com resultado positivo diante do Madureira, no jogo das 16h de hoje, a blindagem colocada pelo vice de futebol Kléber Leite em torno de Cuca pode vir a rachar. Atrás de Botafogo e Friburguense, em terceiro lugar com sete pontos, o Flamengo tem mais quatro jogos para tentar ficar entre os dois semifinalistas do Grupo B .

Mais maduro devido a adversidades no passado, o técnico Cuca segue com discurso otimista, apesar de reconhecer a má fase. “Sempre há um sentimento dentro de mim para continuar lutando, não me entrego. Sinceramente, há um tempo atrás, eu já teria saído. Mas, aprendi a tolerar. Não existe conquista sem sofrimento. Quero que alguém me diga um motivo pelo qual a gente não possa ser campeão”, comentou.

Para o treinador, é questão de pouco tempo para o Flamengo começar a colher bons frutos neste segundo turno.

“Com certeza, tem coisa boa guardada devido à provação que estamos passando, em todos os sentidos. Agora, é ter ambição, otimismo, jogar bem, vencer o Madureira e o Resende e voltar à liderança, classificar e ter a oportunidade de disputar a semifinal e a final da Taça Rio”, planeja, sem tomar fôlego.

Decidido a manter suspense para dificultar a vida do Madureira, o treinador escondeu a escalação do time, que não poderá contar com Léo Moura e Willians, suspensos, e Obina e Éverton, machucados. “O time só sai faltando 45 minutos para o jogo”, decretou.

Na mira do TJD, após o árbitro Luiz Antônio Silva Santos relatar na súmula que foi xingado por Cuca no jogo contra o Vasco, o técnico negou a versão e disse que as imagens da TV devem ajudá-lo no julgamento. “Estou na beira do campo há alguns anos. Busque alguém que tenha me visto falar um palavrão deste tamanho”, desafiou.

“Ainda bem que existem as imagens da TV, e elas captaram bem o que eu falei, isso é a maior prova que possa existir”, defendeu-se Cuca, sem pedir que, caso seja provada a sua inocência, o árbitro receba uma punição. “O problema é que o que você fala hoje se volta contra você. Então, vou me manifestar à frente do tribunal. São pessoas honestas, que não ganham nada para estar lá”, disse.

Também irritado, Fábio Luciano considerou absurda a declaração de Jorge Rabello, presidente da Comissão de Arbitragem, que julgou como ‘exemplar’ o desempenho do juiz do clássico. “Se ele acha que foi exemplar, tem que assistir a alguns jogos da Europa para ver como é”, aconselhou.

Segundo o capitão do Flamengo, os jogadores sempre têm obrigação de adaptação. “Mudam até a bola e a gente não fala nada, porque já dizem que estamos reclamando. A arbitragem apita de um jeito no Brasileiro, outro no Estadual... É uma nova fase”, desabafou.

[O Dia]

Nenhum comentário: