quinta-feira

Como Resolver a Crise do Flamengo ?



A crise financeira em que se encontra hoje o CRF


A situação de crise financeira em que se encontra o CRF não encontra paralelo em sua história. A gestão capitaneada pelo Presidente Marcio Braga “vendeu” aos Conselheiros do Clube 2 anos de falsa prosperidade. Diminuição de despesas e aumento de receitas. Na verdade, o confronto desta situação com a realidade dos números, nos mostra que as receitas cresceram em proporção muito menor que as despesas. Vide a folha salarial do futebol.

Fica difícil também acreditar na realidade desta punjança e, de que este crescimento não se deu apenas por antecipação de receitas futuras, face ao desespero que tomou conta desta administração ao vislumbrar o “RECEITA Zero” em 2009. O ponto principal para a solução do Clube, continua sendo atacar o cerne do problema. O CRF tem que entrar urgente em “regime de combate”, coisa difícil, em função da conjuntura política onde, por ser ano eleitoral, vale o lema de que “filho feio não tem pai”. A administração atual, que hoje tem seu Presidente afastado por motivo de saúde, suspenso por 4 anos pela Justiça desportiva, vive um hiato de Poder. Acabou o comando, isto já se reflete no campo de jogo.

Hoje, os VP’s são do Presidente Marcio Braga mas, quem está à frente do Clube é o Delair. A administração Marcio Braga foi montada com nomes “Presidenciáveis” que, com o fiasco administrativo financeiro, não consegue andar porque ficou difícil saber como dividir ou, para quem passar esta conta. Ainda que o VP de Futebol tenha tentado passá-la para o VP de Finanças, o Clube ficou à deriva. Sem liderança e sem uma equipe homogênea que possa discutir soluções viáveis para que o CRF saia desta, vide o fato da Traffic estar buscando um patrocinador em concorrência direta com o marketing do Clube.

A falta de comando, a quebra constante de hierarquia, a ausência de controles administrativos financeiros eficazes, o desrespeito ao Estatuto por parte de alguns membros do Conselho Diretor, perseguições a Conselheiros, punições extremas para Conselheiros da Oposição, foi criado assim, um clima insustentável na instituição que permita um entendimento que leve à solução correta e definitiva para o Clube. A análise da dívida do Clube demonstra que sem um freio na política mercantilista de jogadores, que fizeram os lucros estrondosos da recém aberta MFD e da Traffic e, que colocaram os Ativos do Clube num patamar inferior as suas dívidas (Patrimônio Líquido NEGATIVO), não tem sentido o Flamengo correr para resolver seus problemas quando o caminho que tomou para chegar à solução está errado. O Clube precisa resolver, primeiro, o problema institucional, para depois, resolver o financeiro.

A administração, e seus fiéis seguidores, insiste em perseguir metas e soluções, tentadas e testadas ao longo dos anos e que nunca resolveram os problemas, pelo contrário, só fizeram aumentar as dívidas, dilapidar o patrimônio do Clube, criar imensos passivos fiscais e trabalhistas, além de desvalorizar uma marca milionária. O Flamengo ainda ao aprendeu que qualquer um, por mais genial que seja, pode sentar num formigueiro mas, só os tolos ou, os inconseqüentes, permanecem sentados nele. O desastre provocado por uma administração que praticou vôo cego ao longo de sua gestão só faz demonstrar que o Flamengo descansa no erro. E, se o VP de Finanças tivesse, efetivamente, feito por merecer os fartos elogios feitos por seus pares ao longo de sua atuação à frente das finanças do Clube, não precisaria ter largado a administração a que pertenceu, pouco antes do anúncio do quadro calamitoso em que se encontrava o CRF. Estes mesmos que estão no revezamento do poder do Clube, desde 2002, teimam em se esquecer de que a vida não nos oferece prêmios ou castigos mas, conseqüências. O estado falimentar do Clube é mera conseqüência do que estes que se alternaram no poder do Clube fizeram à frente de suas administrações. O Flamengo é VIÁVEL, isso é fato mas, desde que, use o que aprendeu no passado como trampolim e não como sofá.

SRN / FCGularte (MPFLA)

Nenhum comentário: